Democracia Directa – Visão Cristã

Segundo a graça de Deus que me foi dada, eu, como sábio arquitecto, assentei o alicerce, mas outro edifica sobre ele. Mas veja cada um como edifica, pois ninguém pode pôr um alicerce diferente do que já foi posto: Jesus Cristo. (ICoríntios 3, 10-11)

Constituição 2.0: Os cidadãos escrevem uma nova Constituição para Portugal.

Um excelente exercício de cidadania participativa da iniciativa do IDP – Instituto Democracia Portuguesa.

.

Clique para ser direccionado para o sítio de suporte

Clique para ser direccionado para o sítio de suporte

LANÇAMENTO A 11 DE JULHO DE 2009

WIKI CONSTITUIÇÃO DE PORTUGAL

O que é?

* Uma Constituição para Portugal, escrita por todos

* Um exercício democrático

* Um documento colaborativo que crescerá por si

* A voz de todos nós, em forma de Constituição.

.

A única crítica que prevalece e permanece é a crítica construtiva. Quem considera estar mal feito o que existe deve fazer novo. Participe.

Um bom ponto de partida, do ponto de vista de um defensor da democracia directa, será a leitura da Constituição Suiça de 1999. Pode lê-la em português (do Brasil) descarregando-a em ficheiro PDF (552 Kb) a partir daqui ou daqui.

Filed under: Uncategorized

O cinismo e a liberdade

 

Um destes dias, dei por mim a pensar nas ameaças à liberdade. Lembrei-me de uma que tende a esconder o horizonte, a atar a esperança e a cansar a imaginação. Lembrei-me do cinismo.

O cinismo, mesmo que não se veja a olho nu, anda por aí… nas crónicas brilhantes dos jornais, em comentários lúcidos e inteligentes. Mas será este reluzente cinismo capaz de iluminar a realidade, capaz de ver para além dos escombros? Nas suas formas mais agudas, o cinismo denuncia sem anunciar nada de novo, vive sentado e convida a uma desilusão comodista incapaz de comover-se e mobilizar-se a favor do bem. Desencantado da vida o cinismo tende a desacreditar aqueles que crêem que a novidade é possível. A estes, com um simpático e altivo paternalismo (será desdém?), gosta de chamar ingénuos.

Este rótulo fácil e preguiçoso, por vezes, chega também às opções editoriais de quem decide as notícias que vemos, lemos ou ouvimos. Neste caso, a dita doença, porque o cinismo é uma doença do olhar, transforma-se numa mordaça subtil com que consciente ou inconscientemente se cala a diferença e a criatividade de quem se lança contra a corrente. Com isto se fecha os olhos a uma parte significativa de lutas escondidas contra a injustiça e a inconformismos criativos.

Nenhum de nós está a salvo do contágio. Andam por aí amarguras perigosas com vontade de passado, assustadas com o presente e paralíticas de futuro. Mas sem horizonte todos os braços se cansam de lutar, apaga-se a imaginação. Libertar o horizonte do cinismo que o esconde, não é ser ingénuo ou superficial é optar por viver acreditando que vale a pena o esforço e a esperança. Este é um bom caminho para manter a liberdade em forma e vitalizar a Democracia.

Zé Maria Brito, sj

 

também publicado aqui

Filed under: autor: Zé Maria, democracia, justiça, Uncategorized

Copie e divulgue p.f.

Logo DD-VC

.

Acção imediata - LER e ASSINAR

Agosto 2017
D S T Q Q S S
« Set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Livros

Clique para descarregar

Clique para descarregar (NOVO)

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

clique para descarregar

clique para descarregar

Outros livros

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar

Clique para descarregar (NOVO)